Artistas nipo-brasileiros revisitam a arte japonesa, em exposição no MON

James Kudo Curitiba
James Kudo

21 artistas nipo-brasileiros em exposição a partir de 16/03/16 até 26/06/16

 

“Olhar InComum: Japão Revisitado” entra em cartaz no dia 16 de março, com pinturas, grafites, esculturas, música, intervenção e outras manifestações artísticas.

  

Curitiba, 2/3/16 – O Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, recebe a partir do dia 16 de março a exposição “Olhar InComum: Japão Revisitado”, que traz o olhar de 21 artistas contemporâneos que possuem laços sanguíneos com o país asiático. A mostra, que tem curadoria de Michiko Okano, professora de História da Arte da Ásia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), contempla múltiplas linguagens, como desenho, pintura, gravura, grafite, escultura, objeto, fotografia, cerâmica, urushi (charão), design, vídeo, música, poesia, caligrafia, instalação, intervenção, performance e a cerimônia do chá.

 

Participam da exposição Alice Shintani, Alline Nakamura, Atsuo Nakagawa, César Fujimoto, Erica Kaminishi, Erica Mizutani, Erika Kobayashi, Fernanda Takai, Fernando Saiki, Futoshi Yoshizawa, James Kudo, Júlia Ishida, Mai Fujimoto, Marcelo Tokai, Marília Kubota, Marta Matushita, Sandra Hiromoto, Takako Nakayama, Tatewaki Nio, Yasushi Taniguchi e Yukie Hori. Todos eles revisitam o Japão, cada um com sua poética particular e distinta.

A mostra fica em cartaz até o dia 26 de junho. O MON abre de terça a domingo, das 10h às 18h. Os ingressos são vendidos até às 17h30, ao valor de R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Às quartas-feiras a entrada é franca.

Professora e curadora Michiko Okano - livro
Professora e curadora Michiko Okano – livro

 

Sobre a curadora

Michiko Okano é graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (Universidade de São Paulo) e mestre e doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). Atualmente, é professora de História da Arte da Ásia na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo – Campus Guarulhos), coordenadora do Grupo de Estudos Arte Ásia e professora-colaboradora no Programa de Pós-Graduação no Centro de Estudos Japoneses da USP. Participa, ainda, de um projeto de pesquisa internacional de artistas nipo-latinos, coordenado pelo Japanese American National Museum, de Los Angeles (EUA), com o patrocínio da Getty Foundation.

Olhar nipônico

 Os primeiros imigrantes japoneses chegaram ao Brasil em 1908. Atualmente, o país abriga a maior comunidade nipônica fora do Japão, com cerca de 1,5 milhões de descendentes. Apesar de estar na sexta geração, o nipo-brasileiro tem uma relação bastante complexa e diversificada com sua ascendência: ora nega a origem, ora cria uma relação de paixão com o Japão ou, ainda, recria outro Japão dentro do Brasil.

 

As obras refletem estes múltiplos desdobramentos dos artistas que constroem um espaço interessante de confronto, troca e diálogo. As referências vêm tanto do Japão tradicional quanto do da atualidade. O que todas têm em comum é a visão contemporânea da arte e o território brasileiro como cenário do cotidiano.

Sobre o projeto

A ideia da exposição Olhar InComum: Japão Revisitado nasceu de um desdobramento da exposição Lugar InComum, realizada no Museu de Arte Contemporânea do Paraná, em junho de 2013, com as artistas Erica Kaminishi, Julia Ishida e Sandra Hiromoto.

Com o êxito dessa mostra, surgiu a intenção de realizar um projeto de maior abrangência, reunindo artistas descendentes de japoneses e investigando uma identidade cultural por meio da poética de seus trabalhos. Sandra Hiromoto, a principal idealizadora da mostra, em diálogos constantes com Júlia Ishida, pensou em realizar uma exposição que ultrapassasse a fronteira das artes visuais, englobando a música, a poesia e outras formas de expressões.

A razão desta expansão foi enfocar a multiplicidade do que a palavra “nipo-brasileira” possa significar, bem como promover o diálogo entre os olhares incomuns dos diferentes artistas brasileiros de origem japonesa.

SERVIÇO:

Exposição Olhar InComum: Japão Revistado

Período: 16 de março a 26 de junho

Local: Museu Oscar Niemeyer – Sala 01 Tarsila do Amaral

End.: Rua Marechal Hermes 999 – Centro Cívico

Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h

Ingressos: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Às quartas-feiras a entrada é franca.

Acesse a página no Facebook.

Exposição Olhar Incomum Japão Revisitado Michiko Okano
Flyer da exposição

Fonte: Release oficial do evento

Comments

comments

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*